dddrin_pulgas

Pulgas

 
 
As pulgas são ectoparasitas de aves e, principalmente, mamíferos e causam bastante incômodo ao homem quando infestam o ambiente. Existem cerca de 2.500 espécies de pulgas em todo o mundo, distribuídas em 16 famílias.
 
 

Filo: Arthropoda

Classe: Insecta

Ordem: Siphonaptera

Descrição e biologia

Medem de 1 a 6 mm de comprimento, corpo comprimido (achatado lateralmente), facilitando sua locomoção entre os pelos do hospedeiro. Apresentam coloração marrom avermelhada. Cabeça curta, não destacada do corpo, antenas curtas e olhos reduzidos ou ausentes. Asas ausentes e pernas adaptadas para movimentos rápidos e saltos a longas distâncias. Preferem
ambientes úmidos e não muito quentes. Alimentam-se do sangue do hospedeiro e, somente os adultos sugam o sangue. As larvas alimentam-se de sangue seco e resíduos em geral eliminado pelas pulgas adultas no ambiente. Uma pulga alimentada vive até 500 dias e sem alimento, até 125 dias.

Ciclo de vida

A reprodução das pulgas é sexuada. São holometábolos, ou seja, seu ciclo de vida compreende as fases de ovo, larva (3 ínstares), pupa e adulto. As fêmeas colocam de 300 a 400 ovos e somente após a sucção de sangue. Esses ovos podem ser depositados no
hospedeiro, ninho ou chão e eclodem após 2 a 16 dias. O período larval dura de 12 a 30 dias; formam um casulo pegajoso, onde se transformam em pupa do tipo livre (ficam aderidas ao ambiente). Após 7 a 10 dias, emerge o adulto.

Principais Espécies e Danos Causados

Além do desconforto ao homem e seus animais domésticos, as pulgas também transmitem viroses, vermes e doenças causadas por bactérias (peste bubônica, tularemia e salmonelose), pois podem variar de hospedeiro. Podem ocorrer grandes infestações, pois as larvas escondem-se em locais protegidos da luz como frestas de assoalhos, sob almofadas de poltronas e sofás, bordas de colchões, base de tapetes e carpetes, etc.

Principais espécies

- Família Pulicidae

Pulga do rato – (Xenopsylla cheopis)

Tem como principal hospedeiro o rato urbano. Também pode atacar outros mamíferos e o homem. Principal transmissora do agente da Peste Bubônica, doença epidêmica contagiosa, causando manchas escuras na pele e hemorragias internas.

Pulga do cão – (Ctenocephalides canis)

Pulga de cães e gatos, também podendo picar o rato, outros animais e o homem. Comum em regiões de clima frio. Sua principal característica é possuir uma sutura (prega) dupla no segundo segmento do terceiro par de pernas.

Pulga do gato – (Ctenocephalides felis)

Também ataca ao homem e vários outros animais. Capaz de transmitir doenças ao homem, além de provocar alergias. Mais comum em regiões de clima quente.

Pulga do homem -(Pulex irritans)

Pode sugar outros hospedeiros como suínos, cães e gatos e, raramente, ratos. Sua ocorrência é maior em casas muito velhas. Era a espécie principal do homem por habitar principalmente seus ambientes, mas está quase totalmente erradicada.

Bicho de pé – (Tunga penetrans)

Comum nas zonas rurais. A fêmea fecundada penetra na pele do homem e outros animais, causando forte coceira e ulceração. Adquire-se andando em áreas infestadas como currais, chiqueiros e praias, sem a devida proteção.

Prevenção

  • Manter sempre limpo o local onde seu animal dorme, removendo e lavando todos os objetos (panos, cobertores, etc.) uma vez por semana;
  • Em ambientes com piso de tacos ou tábuas, todos os vãos existentes devem ser calafetados, uma vez que podem servir de abrigo para pulgas no ambiente;
  • Tapetes carpetes e capachos devem ser aspirados para a remoção dos ovos, larvas, casulos e adultos de pulgas, descartando o saco do aspirador em seguida;
  • As casas devem ser limpas pelo menos uma vez por semana, com o auxílio de um aspirador de pó. IMPORTANTE: Descarte o filtro do aspirador após a limpeza, pois as larvas das pulgas podem eclodir dos ovos coletados pelo aspirador ou pulgas adultas podem emergir de suas pupas e re-infestar o ambiente. O filtro deve ser colocado em um saco plástico, aplicando-se inseticida de uso doméstico e descartado fora da estrutura.
  • Pode a grama e faça a limpeza periódica de quintais e jardins para evitar ambientes úmidos e adequados para o desenvolvimento das larvas;
  • Faça o controle de roedores no terreno da residência, pois estes são hospedeiros de pulgas que transmitem doenças

Métodos de controle

O controle da pulga em casa começa com o tratamento do animal, tratando-se então a casa e os locais onde vive e circula o animal. Ambas as etapas têm que ser executadas juntas, ou ao menos o animal de estimação deve ser tratado primeiramente, seguindo recomendação do médico veterinário.
Mantenha a casa limpa e aspirada. Isso ajuda remover os ovos algumas larvas. O controle efetivo é feito através da lavagem dos tapetes, visto que as larvas e adultos de pulgas se afogam facilmente ou ainda, através da aplicação de inseticidas específicos.
Utiliza-se a pulverização completa em toda a área infestada, de preferência em duas etapas. Como os produtos normais fazem efeito somente nas fases larval e adulta sugere-se o prazo de 15 dias entre as 2 aplicações para obter-se melhor resultado, evitando formas de resistência. Essa aplicação deverá ser direcionada a frestas de móveis, cantos e frestas de rodapés e pisos de assoalho ou taco e no dormitório dos animais de estimação. Nos animais utilizam-se xampus, talcos e sprays apropriados.
Para a área externa (quintal e gramados) pode-se pulverizar inseticidas ou simplesmente molhá-la bem, já que as larvas da pulga são afogadas facilmente.
A utilização do MIP é recomendada para melhores resultados.